Coordenação:

Arturo Alvarado (Colegio de México)
Christian Azaïs (Université de Picardie Jules Verne & IRISSO, Universidade Paris Dauphine)
Gabriel Kessler (Universidade Nacional General Sarmiento)
Vera Telles (Universidade de São Paulo)

Para acessar a programação completa, clique aqui!

Sob o impacto da globalização que afeta as cidades, redefinindo as territorialidades urbanas, práticas sociais e os jogos políticos de atores, as metrópoles latino-americanas vêm sendo atravessadas por uma trama variada de ilegalismos que passam a redefinir as configurações sócio-urbanas. Alguns estão ancorados em práticas de longa data nas periferias urbanas em torno das circunstâncias da moradia popular e da vida cotidiana, mas que ganham outras feições e sentidos
em uma paisagem urbana muito alterada em relação às décadas passadas. Outros acompanham as redefinições de um expansivo mercado informal hoje marcado pelas suas conexões com os circuitos ilegais de uma economia globalizada, transformando-se em polos importantes de distribuição de produtos do contrabando e falsificação que passam a se inscrever no núcleo das economias urbanas dessas cidades e nas quais também se enreda o tráfico de drogas.

Transversal a esses dois planos, a questão da criminalidade e violência urbana, entre fatos e ficções, vem se colocando como foco de uma inquietação persistente, desdobrando-se no tema hoje onipresente da (in)segurança. Esse é um termo polissêmico, de escopo variado e usos ambivalentes, sendo mobilizado em contextos e circunstâncias diversos: aciona medos urbanos e entra em ressonância com outras dimensões de vulnerabilidade dos citadinos, afeta práticas e interações sociais, compõe a gramática política de gestores urbanos, pauta programas sociais e iniciativas políticas ou comunitárias de natureza variada. Outrossim, orienta políticas de controle voltadas à “gestão de riscos” nos territórios ditos problemáticos, bem como é mobilizado como discurso legitimador de novas formas de repressão, estatais e não-estatais, ou para-estatais.

Essas são algumas das questões tratadas no âmbito do programa “Questões urbanas e governança em quatro metrópoles latino-americanas: Buenos Aires, Caracas, Cidade do México e São Paulo” (AIRD-ANR-Suds Metraljeux). O objetivo deste seminário é discutir, sob uma perspectiva comparativa, resultados de pesquisas sobre esses temas.

Compartilhar com amigos
  • gplus
  • pinterest

Postar um comentário