Seminário de Pesquisa – Projeto temático (Fapesp) “Gestão do conflito na produção da cidade contemporânea: a experiência paulista” .

Resumo do Projeto Tematico

Programação do Seminário – arquivo PDF

Publicações com temas relacionados a este seminário podem ser encontrados neste site, nas abas “publicações recentes” (página de abertura do site) e “vale a pena ler”

———————————————————————————————————————–

Programa de Pós-Graduação em Sociologia – Laboratório de Pesquisa Social – LAPS

Universidade de São Paulo

Data: 15 – 16 /03 / 2016

Prédio das Ciências Sociais e Filosofia – sala 14

Este seminário tem como objetivo apresentar e discutir resultados parciais das pesquisas desenvolvidas nos quadros do Projeto Temático “Gestão do conflito na produção da cidade contemporânea: a experiência paulista” (Fapesp). Desde seu início (agosto 2014), nossos trabalhos vem se desenvolvendo em várias frentes de pesquisa, agregando pesquisadores de instituições de ensino e pesquisa de São Paulo, e também do Rio de Janeiro, de forma que a perspectiva comparativa entre as duas cidades também faz parte das questões que pretendemos lançar à discussão.

Com uma equipe formada por docentes, pós-doutorandos e pós-graduandos, também bolsistas de Iniciação Científica, os temas tratados em nossas pesquisas foram distribuídos em quatro mesas, cada qual com uma dupla de comentadores especialmente convidados para debater as questões apresentadas pelos seus respectivos expositores, com base em textos previamente distribuídos.

Na abertura dos trabalhos, teremos a conferência a ser proferida pela Profa. Manuela Ivone Cunha, da Universidade do Minho, Portugal. Seus trabalhos (vários) sobre os nexos e conexões entre dispositivos punitivos e dinâmicas urbanas são referência importante para todos nós, e tantos outros pesquisadores que lidam com esses temas. Especialmente convidada para participar de nossa jornada de trabalho, além da conferência de abertura, teremos o privilégio de contar com sua presença também como comentadora de uma de nossas mesas, e debatedora das demais.

Programação

15 de março – 3a feira

9:30. Abertura dos trabalhos

10:00. Apresentação – Vera da Silva Telles (USP) e equipe

10:30. Conferência:

Gestão da (des)ordem, prisão e dinâmicas da punitividade”

Manuela Ivone da Cunha (Universidade do Minho – Portugal)

14:00 Mesa 1 – Cidade, território de circulação: circuitos cruzados de migrantes, mercadorias e formas de controle

Pretende-se discutir as formas de regulação dos mercados populares, chamados de ilegais, informais ou ilícitos, descrevendo os processos que garantem as formas de produção, circulação e apropriação da riqueza circulante associada à certos circuitos da venda na rua, especificamente aquele feito pelos chamados camelôs. Em um contexto no qual os mercados populares se ampliam cada vez mais e passam a ser disputados de forma também cada vez mais intensa, a pergunta que se coloca é: como esses mercados são governados? Quais as linhas de força dos coletivos que disputam e negociam a sua participação nesses mercados? De que maneira, através de quais mediadores sócio-técnicos, a condução desses mercados está sendo realizada? Ou seja, quais são as formas de regulação da riqueza que atravessa esses espaços?

 Coordenação: Daniel Hirata (UFF)

  1. Daniel Hirata (UFF) e Fernando Rabossi (UFRJ). O governo dos ambulantes na cidade do Rio de Janeiro e suas circulações
  2. Carlos Freire (USP) e Régis Minvielle. Migração transnacional e comércio nos mercados populares do centro de São Paulo
  3. Gabriel Feltran (NaMargem/UFSCar). Carros e valor em São Paulo: circuitos dos mercados informais-ilegais de veículos nas periferias urbanas

Comentadores: Álvaro Comin (USP) e Bianca Freire-Medeiros (USP).

 17:00. Mesa 2 – Fazer Estado: gestão e conflito nas fronteiras da lei

 As formas de controle inscritas na produção e gestão dos espaços urbanos parecem hoje configurar campos de tensão e de gravitação de uma conflitualidade urbana, que nos interessa investigar. De um lado, nos contextos situados em que essas formas de controle operam, tem se configurado campos de conflito e dissonâncias bem como debates e polêmicas que, no seu conjunto, fazem deles e de cada um “espaços-problema” – os modos de problematização que se processam em cada um deles é questão que nos interessa investigar. Por outro lado (e ao mesmo tempo), em seus modos operatórios, nos contextos situados em que operam, as forças da “lei e ordem” tem acionado dispositivos de legalidade duvidosa, quando não de exceção, que tem por efeito embaralhar os sinais da ordem e seu avesso, do legal e do extra-legal, do direito e da força. Esses terrenos incertos entre a lei e a exceção tem dado margem a novas formas de um ativismo jurídico cada vez mais presente e importante nos conflitos abertos nesses lugares. As suas formas de atuação, em vários dos pontos de incidência dos dispositivos de “lei e ordem”, podem nos dar algo como o roteiro de um multifacetado campo de disputas que se estrutura na produção da ordem urbana. E é isso que nos permite avançar a hipótese dos dispositivos legais como campo de disputa, ao mesmo tempo em que nos permite deslindar as dimensões conflituosas da produção da ordem urbana, nos nexos entre dispositivos legais-institucionais, produção da ordem urbana e conflito.

 Coordenação: Marcos Alvarez (USP)

  1. Marcos Alvarez (USP), Fernanda Matsuda (USP), Rafael Godoi (USP) e Juliana Tonche (USP). Defensoria Pública do Estado de São Paulo: trajetória, atuação e dilemas atuais
  2. Taís Magalhães (USP). O(s) direito(s) como campo de batalha: ativismo jurídico na “Cracolândia” paulista.
  3. Fernando Salla (NEV), Marcos Alvarez (USP), Luiz Lourenço (UFBA) e Alessandra Teixeira (UFABC). Por uma genealogia do controle social sobre os adolescentes em São Paulo

Comentadores: Maíra Machado (Escola de Direito-FGV) e Adriana Vianna (Museu Nacional-UFRJ).

 16 de marco – 4a feira

 9:30hs. Mesa 3 – Conectores urbanos: transversalidades de territórios e experiências urbanas

 Tomando a cidade como plano de referência, esta mesa se propõe a apreender os múltiplos espaços urbanos ocupados por populações que transitam intermitentemente entre instituições de controle e a rua, destacando as ressonâncias e as transversalidades que são o produto de dispositivos de gestão da ordem e de práticas urbanas em contextos situados. Trata-se de colocar em perspectiva as experiências transversais de atores urbanos – sejam eles operadores do Estado ou homens e mulheres que circulam de maneira incessante por múltiplos territórios da cidade. Essas experiências e essas trajetórias, tais como fios condutores, podem ser tomadas como prismas e operadores analíticos para apreender as lógicas sócio-políticas inscritas na produção desses espaços e suas múltiplas ressonâncias na experiência urbana.

Coordenação: Vera Telles (USP)

  1. Taniele Rui (UNICAMP) e Fábio Mallart (USP). Por uma etnografia das transversalidades urbanas: entre o mundão e os dispositivos de controle
  2. Marina Mattar (USP). No labirinto: formas de gestão do espaço e dos corpos na “Cracolândia”
  3. Paulo Malvasi (CEBRAP), Fernando Salla (NEV), Alessandra Teixeira (UFABC) e Fábio Mallart (USP). Gestão urbana das populações e dos mercados ilegais: perspectivas a partir das trajetórias e “carreiras criminais” de jovens e adolescentes em São Paulo.

Comentadores: Manuela Ivone Cunha (Universidade do Minho) e Patrícia Birman (UERJ)

 14:00hs. Mesa 4 – Gestão da violência em perspectiva comparada: crime e cadeia em São Paulo e no Rio de Janeiro

Diante da constatação de que quase inexistem estudos comparativos entre Rio de Janeiro e São Paulo, esta mesa visa prospectar esse terreno ainda pouco explorado. Por um lado, baseando-se em pesquisas etnográficas sobre dinâmicas criminais em periferias paulistas e favelas cariocas, trata-se de colocar em perspectiva os mercados varejistas de drogas nas duas cidades, destacando as linhas de força que os aproximam e os distanciam. Por outro, tendo em vista que a prisão, nas últimas décadas, se constitui como um dos dispositivos estratégicos de controle do crime, pretende-se problematizar as distintas figurações que tal dispositivo assume nesses centros urbanos, bem como a maneira como este se articula com outras estratégias de gestão da violência, como a letalidade policial

Coordenação: Carolina Grillo (UFRJ, USP)

  1. Daniel Hirata (UFF) e Carolina Grillo (UFRJ, USP). Sintonia e amizade entre patrões e donos de morro: perspectivas comparativas entre o comércio varejista de drogas em São Paulo e no Rio de Janeiro.
  2. Palloma Menezes (CPDOC/FGV). Redefinições dos ilegalismos e dos modos de gestão da violência em favelas “pacificadas” no Rio de Janeiro.
  3. Rafael Godoi (USP), Fábio Araújo (IFRJ) e Fábio Mallart (USP). Prisões: figurações de um dispositivo de controle do crime em São Paulo e Rio de Janeiro.
  4. Luís Antônio Francisco de Souza (UNESP-Marília). A morte de um “não inocente”: lógica da exceção como explicação para o dispositivo letal em São Paulo.

Comentadores: Antônio Rafael Barbosa (UFF) e Luiz Antonio Machado (IESP-CEVIS/UERJ)

Mesa de Encerramento: 17hs – debate com os pesquisadores e convidados.

Coordenação: Angelina Peralva – Universidade de Toulouse Le Mirail

 

Compartilhar com amigos
  • gplus
  • pinterest

Comentários

  1. Irandi Pereira
    03/03/2016 at 00:40

    Como proceder a inscrição para participação no seminário?

    • Vera Telles
      03/03/2016 at 08:08

      Nao será necessário fazer inscrição. Em cada período, haverá uma lista de presença.

  2. Juliane
    13/03/2016 at 22:41

    Qual é o endereço do prédio das Ciências Sociais e Filosofia?

    • Vera Telles
      14/03/2016 at 07:08

      Endereco do seminário: prédio das ciências sociais e filosofia, USP
      Av Luciano Gualberto 315
      Campus Butatã – cidade universitária

  3. Dhandara Ferreira
    15/03/2016 at 23:38

    Gostaria de saber se é possível ser emitido um certificado de participação (observação) no seminário.
    Preciso para faculdade.
    Aguardo um retorno
    Desde já agradeço

    • Vera Telles
      18/03/2016 at 11:02

      Sim, é possível. entrar em contato com a secretaria do Departamento de Sociologia da USP – tel: 3091.0248
      abs
      vera

  4. Sonia
    19/04/2016 at 12:34

    Prezada Profa. Vera Telles,
    Gostaria de convidá-la para ser debatedora em evento na Faculdade Cásper Líbero, no dia 11 de maio de 2016. O tema será: Relações centro-periferia: mobilidade e direito à cidade.
    Atenciosamente,
    Sonia Breitenwieser Alves dos Santos Castino
    Coordenadora de Cultura Geral da Faculdade Cásper Líbero

    • Vera Telles
      19/04/2016 at 13:34

      Prezada Sonia
      Agradeço imensamente o convite, mas infelizmente nao tenho condicoes de aceita-lo, por conta de uma agenda muito congestionada nesses dias.
      Espero que, em uma proxima ocasião, as condicoes sejam mais favoráveis.
      um abraço
      vera telles

Postar um comentário