Se, por um longo período, as pesquisas sobre mobilidades migratórias mantiveram-se referidas a estruturas sociais e espaciais próprias ao Estado-Nação, a partir da última década a mobilidade transnacional passou a tema central de um crescente número de reflexões acadêmicas. Cobrindo um vasto campo (inter)disciplinar, voltam-se para a compreensão dos trânsitos entre fronteiras, dos novos e renovados fluxos migratórios, do aumento das solicitações de refúgio, dos espaços e mercados cada vez mais intensamente marcados pela circulação internacional de corpos, mensagens e coisas, assim como dos dispositivos sociotécnicos de vigilância que controlam todas essas experiências de mobilidade e imobilidade.

Esta Oficina de Pesquisa colocará em discussão a mobilidade transnacional: as condições de possibilidade de sua emergência como operador teórico-metodológico, os deslocamentos epistêmicos e as transformações por ela provocadosna escala da cidade, na produção e reestruturação da vida urbana. Trata-se, portanto, de tomá-la como fronteira analítica para pensarmos sobre processos sociais que desafiam as epistemologias sedentaristas e o nacionalismo metodológico. Em diálogo com o que tem sido chamado de giro móvelna teoria social, acreditamos que, assim compreendida, a mobilidade transnacional problematiza não apenas as fronteiras e os limites da política e da cultura em termos nacionais, mas também os paradigmas políticos da circulação com seusmarcadores de raça, gênero, classe, nacionalidade, entre outros, responsáveis pelas interrupções, hierarquias e distinções nos regimes de (i)mobilidade.

Parte do programa de atividades vinculado ao Projeto Temático “Gestão do conflito na produção da cidade contemporânea” (FAPESP), coordenado pela Profa. Vera Telles, esta Oficina tambémcompõe o programa de pesquisaMobilidades: conceitos, temas e métodos,recentemente inaugurado por ela e pela Profa. Bianca Freire-Medeiros nos quadros do PPGS-USP. Distribuídos/as em duas mesas, pesquisadoras e pesquisadores apresentarão diferentes referenciais teóricos sobre o tema das mobilidades transnacionais e os usos que fazem desses referenciais na construção de seus projetos de investigação.

Assim, a Oficina de Pesquisa “Mobilidade transnacional e cidade: fronteiras políticas, fronteiras analíticas” convida à participação qualquer pessoa que tenha interesse na formulação de novas perspectivas analíticas em que a mobilidade transnacional está diretamente implicada, sendo voltada sobretudo para alunos de pós-graduação.

3 de maio 2018 – 16:30hs – Local: FFLCH-USP, Prédio das Ciências Sociais – sala 118

16: 30hs.  Abertura: Vera Telles (PPGS-USP) e Bianca Freire-Medeiros (PPGS-USP)

17: 00hs. Mesa 1: Migração transnacional na escala da cidade

Pedro Charbel (mestrando PPGS-USP), Carlos Freire (pós-doc PPGS/USP), Bruna Bumachar (antropóloga, ITTC).

18:30hs. Mesa 2: Fronteiras como operadoras de passagens: o governo da circulação

Lindomar Albuquerque (PPGCS-UNIFESP), José Miguel Olivar (Faculdade de Saúde Pública – USP), Angela Facundo (PPGAS-UFRN).

Coordenação: Bianca Freire-Medeiros (PPGS-USP)

Comentadoras:

Bela Feldman-Bianco (PPGAS-UNICAMP)

Deisy Ventura (IRI-USP

Compartilhar com amigos
  • gplus
  • pinterest

Postar um comentário